Rotulagem x Comercialização: Qual a ligação entre os dois?

Entenda a relação entre a rotulagem e a comercialização.

Categoria: blog.Categoria.None
by: Luciano Alves

Tendo em vista a importância da rotulagem em um alimento, é o momento de pensar além e entender o motivo pelo qual a rotulagem está totalmente ligada a comercialização do próprio alimento.

Antes de partimos ao ponto, faz-se necessário uma breve explicação sobre um dos principais regulamentos nos quais regem a rotulagem no que se diz respeito a comercialização de determinado produto.

Aliás, você sabia da existência deste e de outros regulamentos voltados aos rótulos de alimentos? Engana-se quem pensa que a rotulagem se trata apenas de uma simples tabela nutricional.

  RDC n° 259/2002:

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), o âmbito de aplicação do rótulo é o seguinte: “se aplica à rotulagem para todo alimento que seja comercializado, qualquer que seja sua origem, embalado na ausência do cliente, e pronto para oferta ao consumidor.”

Perante a isto, os alimentos produzidos para fins de comercialização devem atender os requisitos de rotulagem determinados pela RDC n° 259/2002 e outros regulamentos citados posteriormente.

Afinal, qual o motivo da rotulagem estar completamente relacionada a comercialização?

Além de seguir com o regulamento proposto pela ANVISA, é indiscutível que no próprio rótulo está boa parte do sucesso do produto.

Um bom rótulo pode influenciar bastante no momento da compra de um produto, onde além de deixa-lo mais chamativo e atrativo, também irá conter diversas informações relacionadas ao seu produto.

Entender em qual categoria seu alimento se encaixa e saber suas principais características e informações, por exemplo: se o produto contém lactose, é fundamental para um bom rótulo e, posteriormente, o sucesso deste produto.

Atualmente, a maioria das pessoas verificam o rótulo do produto antes de compra-lo sendo esta a parte fundamental de todo o processo compra, por isso é indispensável analisar a competência e eficácia do rótulo no momento de elaboração do mesmo.

Pontos de atenção antes da comercialização:

1. Qual a categoria de seu produto?

Vale salientar que cada categoria de alimento possui legislações particulares, as quais devem ser consultadas para atendimento de itens referentes a rotulagem.

Uma polpa de fruta, por exemplo, deve conter a informação da porcentagem de fruta em seu rótulo.

2. Seu produto possui alergênicos?

Alérgeno ou alergênico são substâncias de origem natural, no qual podem induzir uma reação alérgica em indivíduos suscetíveis.

A RDC n°26/2015 estabelece justamente este ponto, ou seja, os requisitos para a rotulagem obrigatória dos principais alimentos nos quais podem causar alergias.

Entretanto, a rotulagem de alergênicos não possui obrigatoriedade de ser apresentada no rótulo, podendo ser inserida em documentos no qual acompanham o produto, com uma ficha técnica, por exemplo.

E a ANVISA também esclarece: “esses documentos devem estar juntos aos produtos durante todo seu transporte e comercialização.”

3. O consumidor final consegue compreender o rótulo?

Por último, mas não menos importante, a facilidade com que o consumidor consegue identificar e entender as informações presentes no rótulo do produto deve ser levada em conta.

Em geral, a rotulagem deve ser bastante específica com relação as informações nutricionais e listas de ingredientes. Onde, na lista de ingredientes, os componentes de um determinado produto devem seguir uma ordem decrescente.

A rotulagem em alimentos Diet e Light

Assim como a taxa de verificação dos rótulos, a busca por produtos mais saudáveis e seguros é uma vertente que cresce constantemente, ou seja, é uma tendência na qual merece a sua atenção.

Com isso, os termos Diet e Light ficou muito comum nos rótulos dos alimentos, podendo confundir o consumidor no momento de adquirir tal produto.

Produtos Diet:

São alimentos que têm uma formulação especial, com o intuito de atender pessoas nas quais possuam algum distúrbio físico ou metabólico, como diabéticos ou hipertensos, e este não tem como finalidade ser menos calórico.

Deve conter a total ausência de um determinado ingrediente, geralmente pode ser açúcar ou sódio.

De acordo com a ANVISA, o termo diet pode ser usado em dois tipos de alimentos:

1. Em alimentos para dietas com restrição de nutrientes;

2. Nos produtos destinados a dietas com ingestão controlada de alimentos.

Produtos light:

São aqueles que deve conter, no mínimo, 25% menos de algum componente, seja ele açúcar, gordura, entre outros. E não possui fins de consumo específicos como o diet.

Com isso, o ministério da saúde classifica os produtos diet como alimentos para fins especiais e os light como “alimentos modificados”.

Portanto, entendendo estas duas nomenclaturas, fica mais compreensível a leitura e entendimento de seu rótulo, facilitando no momento da comercialização do alimento e na produção de sua própria informação nutricional.

Como o consumidor final irá interpretar um rótulo?

Com as informações apresentadas, chegou o momento do consumidor final, quais etapas ele deve seguir e quais os melhores métodos deve-se frisar no estágio de elaboração do rótulo para facilitar seu entendimento.

Deixar o mais claro possível toda a lista de ingredientes utilizados, você mesmo já analisou uma lista de ingredientes antes de fidelizar algum produto, e acredite, isso é extremamente relevante no momento da compra.

Outro ponto indispensável é sobre as informações obrigatórias, como o lote, origem e o inquestionável prazo de validade.

E como citado anteriormente, as informações complementares, ou seja, “seu produto possui alergênicos?”, sem dúvidas este questionamento pode fazer a diferença nos momentos finais da compra do produto.

Com estas etapas bem estruturadas e elaboradas, a fidelização com o produto é garantida.

E para mais informações sobre a rotulagem nutricional clique aqui.

Como demonstrado, as informações presentes nos rótulos de alimentos são de extrema relevância para o consumidor final no qual a utilizam como ferramenta para suas escolhas alimentares. Além de promover uma maior segurança, tanto para o cliente final quanto para os fornecedores.

Dessa forma, diante do conteúdo apresentado, se torna evidente a ligação entre a rotulagem e a comercialização. Vimos que um bom rótulo faz total diferença no momento de aquisição de um produto, além da legislação por trás do processo de rotulagem.

E convenhamos, a rotulagem é uma peça chave para quem deseja comercializar seu produto.

Eai, gostou do conteúdo? Ficou com alguma dúvida? Fale com um de nossos consultores entrando em contato pelo email - contato@nuteq.com.br ou pelo whatsapp - (84) 99620-6964.             

Veja textos relacionados: