Rotulagem x Comercialização: qual a ligação entre os dois?

 em Rotulagem

É notável a importância de uma tabela nutricional em qualquer produto alimentício, mas você entende o porquê a rotulagem é tão significativa para uma boa comercialização? Tanto quanto uma ficha técnica por exemplo (documento que detalha os ingredientes utilizados em uma receita com seus preços).

Mas antes, é preciso compreender um pouco mais sobre um dos principais regulamentos que regem a rotulagem em relação a comercialização de determinado produto.

 

Entendendo a RDC n°259/2002

 

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), na área de aplicação do rótulo, é explicitado: “se aplica à rotulagem para todo alimento que seja comercializado, qualquer que seja sua origem, embalado na ausência do cliente, e pronto para oferta ao consumidor.”

Dessa forma, os alimentos produzidos para fins de comercialização devem atender os requisitos de rotulagem determinados pela RDC n° 259 e outros regulamentos citados posteriormente.

 

Afinal, para que serve a tabela nutricional?

 

A tabela nutricional é regulamentada pela resolução 360 da Anvisa e serve para informar ao consumidor sobre a composição do alimento e a quantidade de nutrientes que o mesmo fornece, indicando quanto isso representa em sua ingestão diária recomendada (IDR). 

Seu produto passa a entregar mais valor para seus clientes, que buscam por informações, cumprindo assim com o objetivo de serem transparentes com o consumidor, especialmente quando comparado aos concorrentes que não rotulam seus produtos com a tabela.

Desse modo, além da tabela fornecer as informações importantes para a dieta do comprador, você faz a ele a proposta de uma relação de confiança no seu produto e, consequentemente, na sua marca.

 

E como funciona o rótulo? Como é a melhor maneira de se ler?

 

De acordo com a RDC nº 259, abordada anteriormente, ele é todo elemento escrito ou gráfico impresso ou colado sobre a embalagem do alimento. Os dados presentes nele são essenciais por fornecerem ao consumidor informações sobre o produto, garantindo assim mais segurança sobre o que está sendo consumido. 

Sua leitura permite identificar alimentos de maior qualidade, auxiliando na busca por uma alimentação melhor. Os principais pontos a serem analisados são: 

Lista de ingredientes: A lista contém todos os ingredientes utilizados na fabricação do produto. Os ingredientes estão listados em ordem decrescente, do que se encontra em maior quantidade para o em menor.

Tabela nutricional: A tabela nutricional contém dados sobre a quantidade de cada nutriente baseado na porção de referência, ou seja, a quantidade não se refere ao total contido no produto. 

Porcentagem de valores diários (%VD): indica o quanto da quantidade recomendada de consumo daquele nutriente por dia está presente naquela porção.

Declaração de alergênicos: Na declaração de alergênicos são apresentados todos os ingredientes que podem induzir uma reação alérgica em indivíduos suscetíveis.  Além desses pontos, é importante estar atento às instruções de conservação e a validade do produto.

 

 

Qual a importância do rótulo de produto?

 

A rotulagem é imprescindível para que produtores possam comercializar alimentos em restaurantes e mercados. Seu produto só pode ser comercializado no varejo se tiver uma análise nutricional, podendo acarretar em multas a comercialização desses produtos sem essas informações. O fato dele ser o principal meio de comunicação entre o produto e as pessoas que o consomem é o seu maior papel. 

É favorecida uma relação de segurança entre consumidor e a marca, demonstrando que a empresa se preocupa com o bem-estar do cliente ao declarar as informações nutricionais e ingredientes que compõem o produto. Assim, a rotulagem não só evita multas, como também pode aumentar o faturamento.

Só para se ter noção, aproximadamente 70% das pessoas consultam as tabelas dos alimentos no momento da compra, segundo dados levantados pelo Ministério da Saúde, tornando-se, assim, um diferencial para a escolha do cliente.

 

Quais são as informações nutricionais que um rótulo deve conter? 

 

Informações relativas aos macronutrientes do alimento, que são os carboidratos, as proteínas, as gorduras (na maioria das vezes divididas em gorduras totais, gorduras saturadas e gorduras trans), além da quantidade de fibra alimentar, valor diário (VD), em porcentagem, valor energético (kcal e kj) e sódio. 

Tudo isso relacionado a uma certa quantidade por porção em gramas ou mililitros e relacionado a sua medida caseira.

 

 

Qual a relação de um rótulo com o maior desempenho de vendas do produto?

 

Por que que os consumidores são muito mais decididos a levar um, em vez do outro? A resposta é simples.

O que vende melhor tem uma tabela nutricional muito mais atraente que o outro.

Não se pode ignorar o peso que os rótulos têm no desempenho do seu produto e nas vendas. Um mau rótulo é para os consumidores como o repelente é para os insetos. A não ser que você entre numa filosofia de guerra de preços e queira atrair apenas o consumidor que procura o preço mais competitivo, ninguém vai querer pegar no seu produto se este não for atraente.

Além de que, a beleza do produto não está só na sua embalagem, mas na forma como o rótulo a complementa.


Gostou do conteúdo? Ficou com alguma dúvida? Fale com um de nossos consultores entrando em contato pelo e-mailcontato@nuteq.com.br ou pelo whatsapp – (84) 99620-6964.

Postagens Recomendadas

Deixe um Comentário